DOIS GRANDES LANÇAMENTOS!!!

A Boa Sorte de Solano Dominguez

Caraba

Duas ótimas novidades estão chegando às livrarias pela Desiderata. E ambas brasileiras: Caraíba (formato 21,5 x 28 cm, 128 páginas em preto-e-branco, R$ 32,90), obra inédita de Flavio Colin, e A Boa Sorte de Solano Dominguez (formato 21,5 x 28 cm, 52 páginas em preto-e-branco, R$ 29,90), escrita pelo versátil Wander Antunes e desenhada por Mozart Couto.

Caraíba retrata a história de um caçador que muda de lado e passa a ser um árduo defensor da floresta amazônica e de seus animais depois de um encontro pra lá de inusitado com o Curupira e a ação de um pajé bem moderninho.

O álbum é composto por três histórias inéditas e um misto de folclore nacional e ecologia – duas bandeiras do autor, falecido em agosto de 2002. Na trama, além do Curupira, há a participação da sereia dos rios Iara e da Boiúna e do Araruá, respectivamente uma cobra e um jacaré gigantes.

Nas páginas finais do livro há ainda um emocionante texto do próprio Flavio Colin sobre sua carreira.

A Boa Sorte de Solano Dominguez mostra que Wander Antunes, que vem publicando também na Europa e este ano já lançou por aqui O Corno que sabia demais e outras histórias de Zózimo Barbosa, pela Pixel Media, é mesmo um especialista em personagens cafajestes.

Desta vez, Wander, que foi o criador da revista Canalha, situa a história em Cuba, antes de Fidel Castro. O protagonista é um cafetão que perde a principal fonte de renda quando sua principal “mercadoria” morre – e ele tem muitas dívidas, que são cobradas de modo bastante truculento.

Mas Solano não sabia que a prostituta mais desejada da ilha havia tido uma filha dele. E quando o cafetão a conhece, vê que seu futuro está garantido: a moça era uma versão mais jovem da mãe e ele pretende usar esse “trunfo” da maneira mais sórdida possível. A trama tem interessantes reviravoltas, que ganham ainda mais destaque no traço sempre competente de Mozart Couto.

Também merece destaque a qualidade gráfica dos álbuns, especialmente A Boa Sorte de Solano Dominguez, no qual, graças a uma decisão conjunta de Antunes, do editor S. Lobo e do editor de arte Odyr Bernardi, chegou-se a um resultado lindo (infelizmente, impossível de ser visto na imagem desta nota): no fundo preto, há um cenário e vários personagens, cujo traço foi substituído por uma reserva de verniz. O contraste com a imagem de Solano e de sua filha coloridos ficou excelente.

Fonte Universo HQ

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: