ASSISTIU AO PIRATA? AGORA VÁ AO CINEMA!!!

poster.jpg

Por causa da rápida disseminação das cópias piratas em DVD, a estréia no cinema de “Tropa de Elite”, que deveria estrear em novembro, foi antecipada para esta sexta-feira, dia 5 em São Paulo e Rio de Janeiro. No resto do país, a data de estréia foi mantida para o dia 12.

César Silva, diretor da Paramount Pictures do Brasil que fará a distribuição do filme no país, divulgou uma avaliação impressionante sobre a pirataria do filme. Segundo ele, 1 milhão de cópias piratas em DVD já teriam sido vendidas. Apesar do problema, o produtor Marcos Prado acredita que o filme tem potencial para ultrapassar a marca de 5 milhões de espectadores no cinema.

O filme retrata o dia-a-dia do grupo de policiais e do Capitão Nascimento (Wagner Moura), membros do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais). Em 1997, Nascimento quer sair da corporação e tenta encontrar um substituto para seu posto. Paralelamente, dois amigos de infância que se tornaram policiais se destacam em seus postos; para acabar com a corrupção na policia, eles tem o objetivo de entrar no Bope.

Curiosidades

Três funcionários da empresa de legendas Drei Marc foram identificados como os responsáveis por “vazar” cópias do filme. Os técnicos de legenda William Correia Ferreira, Eduardo Cardoso e Marcelo Santos prestaram depoimento na Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPim) na quarta-feira. Eles se acusaram mutuamente e confessaram o crime.

Tropa de Elite era originalmente um projeto de documentário, derivado de Ônibus 174 (2002), tendo o BOPE como tema principal.– BOPE significa Batalhão de Operações Policiais Especiais.– Para preparar o filme José Padilha trabalhou dois anos em investigações com a colaboração do BOPE, psiquiatras da PM e ex-traficantes.

– Para compor os personagens José Padilha entrevistou e ouviu histórias de 15 policiais, que conheceu depois que fez Ônibus 174 (2002).

– Apesar das contribuições do ex-capitão do BOPE, Rodrigo Pimentel, que escreveu em parceria com o sociólogo Luis Eduardo Soares o livro “Elite da Tropa”, Padilha afirma que o filme não é uma adaptação do livro.

– Em novembro de 2006 traficantes do morro Chapéu Mangueira, onde as filmagens eram feitas, seqüestraram parte da equipe que trabalhava no filme e roubaram as armas cenográficas. 59 delas eram réplicas e 31 verdadeiras, adaptadas para tiros de festim. As filmagens foram paralisadas por cerca de duas semanas.

– Após ter a equipe seqüestrada e as armas cenográficas roubadas durante as filmagens de Tropa de Elite, o diretor José Padilha teve uma cópia pirata do filme circulando antes de sua estréia nos cinemas. A cópia, que não era a edição definitiva do filme, foi vendida em camelôs dois meses antes do lançamento.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: